Explosivos de Colônia Leopoldina, AL, foram comprados pela prefeitura

Funcionário do município informou que adquiriu material para obras. Inquérito de investigação ainda não foi concluído, segundo delegado.

Os explosivos encontrados dentro do prédio da Secretaria de Obras de Colônia Leopoldina foram adquiridos pela própria prefeitura, segundo o delegado da Seção de Roubo a Banco (Serb), Vinicios Ferrari, da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic). O delegado disse nesta sexta-feira (27) que um funcionário do município confirmou a informação à polícia.

De acordo com o depoimento do funcionário, que não teve a identidade revelada, os explosivos foram adquiridos em 2009 para uma obra da prefeitura.

Dentro da caixa que estava na secretaria municipal havia 38 bastões de dinamite, 15 quilos de emulsão explosiva, 8 espoletas e 11 metros de corda. O material foi analisado e depois destruído porque oferecia risco de explosão.

Segundo o delegado, o inquérito já está em fase de conclusão. “Ouvimos muitas pessoas de dentro da prefeitura, falta apenas requisitarmos informações ao Exército para saber se o procedimento de aquisição, armazenagem e quantidade adquirida e gasta foram feitos de maneira correta”, disse.

Vinícios Ferrari ainda informou que ainda não está descartada a possibilidade de que o material não tenha sido adquirido para obras. “Ainda temos que saber se realmente a quantidade comprada foi usada na obra e se o que encontramos lá era a sobra, pois pode ter ocorrido o desvio desses explosivos para outras finalidades”, afirma.

O Exercito vai formalizar um documento informando de como é feito o trâmite para a aquisição do material e poderá aplicar multa para quem vendeu e quem comprou os explosivos.

g1

27/01/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *